Floripa Amanhã: afundada em concreto, trânsito, lixo e água contaminada?

Esta nota é um chamado para mobilização. Desde o ano passado denunciamos este processo de venda da cidade, expresso na revisão do plano diretor, sabemos que só com muita luta conseguiremos virar essa maré, para que o nosso amor a ilha se sobreponha aos interesses mesquinhos e de curto prazo de quem não se importa em destruí-la para encher ainda mais os bolsos.

Se mobilize antes que seja tarde! Se informe e leve o assunto para sua comunidade, associação de moradores, universidade, coletivo ou organização política. Temos que ocupar as redes e as ruas, pois todo ser vivo será será afetado por estas mudanças no plano diretor.

Tecendo relatos da primeira feira de ideias para adiar o fim de Floripa

No último dia 23 de março, no aniversário de Florianópolis, poucos dias após o equinócio de outono, acontecia a Feira de Ideias para Adiar o Fim de Floripa, nome escolhido em referência e reverência ao livro “Ideias pra adiar o fim do mundo”, de Ailton Krenak. A feira juntou diversas coletividades em torno das causas socioambientais e foi realizada na praça da Lagoa da Conceição, escolhida pela importância socioambiental da lagoa, atingida no ano passado pelo maior crime ambiental da história da cidade.